Feeds:
Posts
Comentários

Começando a mobilização para preparar duas apresentações: a primeira é com os meus alunos do Conservatório Souza Lima, e a segunda com os meus alunos particulares. Brevemente neste local teremos mais notícias dos dois eventos.

Você pode se comunicar de muitas formas: pelo olhar, pelos gestos, pela expressão corporal, pela expressão facial e pela fala. Mas quem traduz a maioria das informações contidas em sua mensagem e revela muita coisa sobre você é a sua voz.

A maneira como você usa a voz ao falar pode influenciar, e muito, a sua voz cantada. No dia-a-dia, você provavelmente passa muito mais tempo falando do que cantando. Por isso, todo cantor deve dar atenção à maneira como usa a voz quando canta e também quando fala!

Dicas básicas para uma boa voz

  • Hidratação – beba cerca de 8 a 10 copos de água ao longo do dia. Mas faça isso aos poucos, tomando pequenos goles e não virando um copo inteiro de uma vez.
  • Escute atentamente o som da sua voz: será que você está falando mais forte (mais alto) que o necessário?
  • Use sua voz natural, sem forçar para o grave (“voz grossa”) ou para o agudo (“voz fininha”, infantil). Não tente forçar a sua voz para imitar a voz de outros cantores.
  • Articule corretamente as palavras, cuidando bem da dicção, abrindo adequadamente a boca. Você vai ser bem compreendido, mesmo falando baixinho.
  • Antes de fazer um ensaio, um show ou uma palestra, aqueça a voz com exercícios específicos. Depois, se tiver usado a voz de maneira muito intensa, procure fazer alguns exercícios de desaquecimento vocal, ou então faça um período de repouso vocal.
  • Ao cantar, prefira roupas confortáveis, que não apertem a região do pescoço, do tórax e abdômen.
  • Esteja atento à sua percepção auditiva – é com ela que você monitora a sua voz.
  • Deixe o corpo movimentar-se livremente, acompanhando a fala ou o canto com gestos e expressões faciais.
  • Ao telefone, mantenha boa postura e articule bem as palavras. Não fale apoiando o aparelho no ombro. Se a ligação estiver ruim, cheia de ruído, não adianta gritar: desligue e ligue novamente.
  • Cuidado com a exposição constante a ruídos intensos.
  • Reduza o uso da voz quando em condições de saúde limitadas, especialmente nos quadros de gripes, resfriados ou alergias das vias respiratórias.
  • Se carregar peso, não fale. Se falar, não carregue peso. O mesmo vale para exercícios físicos, aeróbicos e de musculação: devem ser feitos em silêncio.
  • Permaneça o menor tempo possível em lugares com muita poluição atmosférica, fumaça, pouca ventilação, poeira ou mofo. Alguns sprays para perfumar o ambiente também podem causar desconforto em quem é alérgico.
  • Evite mudanças bruscas de temperatura e vista-se sempre de acordo com o clima. Se você convive com o entra-e-sai em ambientes muito quentes e muito refrigerados, tenha sempre à mão um agasalho fácil de usar e tirar – um cachecol, uma écharpe, um suéter, um casaco.
  • Aprenda a reconhecer as sensações e os sinais de esforço vocal, tais como tensão no pescoço, cansaço vocal ou falta de ar na fala. Assim você poderá mudar sua conduta vocal, tornando a emissão mais suave e evitando danos à sua voz. Faça os exercícios de relaxamento indicados por seu professor.
  • Pode ocorrer fadiga vocal após uso excessivo (falar demais) ou uso de voz em grande intensidade (falar muito alto). Na fadiga vocal, a voz sai mais fraca, mais baixa e soprosa; a extensão diminui. Geralmente os sintomas de fadiga vocal desaparecem após uma noite de sono bem dormida; no dia seguinte, a voz retorna às condições usuais. Se isto não ocorrer, procure um especialista.
  • Nosso organismo precisa em média de 8 horas de sono por noite para recuperar as energias. Uma noite mal dormida pode significar uma voz rouca, fraca e com ar pela manhã.
  • Além do repouso corporal, considere também o repouso vocal. Após o uso intensivo da voz, é ideal um período de descanso ou de uso limitado (procurar falar pouco e não muito alto).
  • A resistência vocal é definida por fatores genéticos e comportamentais. Esta resistência pode ser muito melhorada com o treinamento vocal; por outro lado, não há saúde vocal que resista a maus tratos e abusos constantes. Se você tem uma voz frágil, deve fazer exercícios bem orientados para fortalecê-la. Se sua voz é “de ferro”, agradeça aos céus e cuide bem dela, para que permaneça assim por muitas décadas!
  • A prática de exercícios de aquecimento vocal reduz o risco de lesões nas pregas vocais. Isto, aliado a uma conduta vocal sensata, garante uma boa qualidade vocal ao longo de toda a sua vida.
  • Evite alimentos pesados e muito condimentados, principalmente à noite, antes de dormir.
  • Desvios de postura que atrapalham a boa produção da voz:
  • Cabeça elevada ou inclinada para um dos lados
  • Tensão de face com boca travada
  • Elevação ou contração de sombrancelhas
  • Queixo projetado para a frente ou para o alto
  • Pescoço tenso, com veias e músculos saltados
  • Ombros erguidos, tensos, curvados para a frente
  • Bloqueio da movimentação corporal, principalmente da cabeça e dos braços
  • Se beber líquido gelado, procure manter os primeiros goles na boca por alguns segundos antes de serem deglutidos, evitando assim a brusca mudança interna de temperatura das pregas vocais. O mesmo vale para sorvetes.
  • Esportes mais aconselhados para o cantor: natação, caminhada, ioga, alongamento.
  • Esportes menos aconselhados para o cantor: os que exigem movimentos violentos de braços, tais como tênis, basquete, peso, boxe, vôlei e musculação.
  • Nunca se auto-medique. Nunca. Se estiver doente, procure seu médico.


Alguns problemas que você pode evitar

  • Competição sonora

Ocorre em …

  • Ambientes ruidosos de trabalho ou em família
  • Festas, discotecas, estádios de futebol lotados, shows de rock
  • Rádio, som ou TV ligados enquanto se conversa
  • Falar junto com os outros, ao mesmo tempo

Nestas situações, raramente você se dá conta do esforço necessário para manter um simples bate-papo. E o pior: são situações onde você precisa conversar (ou corre o risco de ser considerado anti-social!).

Para evitar…

§  Fale o mais suavemente possível, quase sussurrando

  • Procure articular muito bem as palavras
  • Use gestos e expressões faciais
  • Procure falar um pouco mais agudo do que normalmente
  • Se o papo estiver animado, convide seu interlocutor para  conversar em um local mais tranquilo da festa
  • Fumo
  • A fumaça quente agride todo o sistema respiratório, principalmente as pregas vocais, podendo causar irritação, pigarro, tosse e aumento da secreção.
  • A toxina do cigarro fica depositada nas pregas vocais, diminuindo a resistência a infecções.
  • O risco de indivíduos fumantes apresentarem câncer de laringe é 40 vezes maior em relação aos não-fumantes.
  • Os danos causados pelo cigarro variam com a quantidade usada e também com características individuais, constitucionais, genéticas e familiares.O indivíduo não-fumante que fica exposto à fumaça do cigarro pode também apresentar alterações. Portanto, não fumar em ambientes fechados é uma questão de respeito à saúde do outro.
  • Pode ser difícil evitar a exposição à fumaça alheia; mas parece estar havendo maior conscientização por parte dos fumantes, e também leis que proíbem o fumo em diversos locais fechados (inclusive restaurantes e shoppings).
  • Se você é fumante e deseja parar de fumar, pode encontrar ajuda na medicina ocidental e oriental, com opções que vão de remédios tradicionais até a acupuntura, massagens, passando pelos fitoterápicos e grupos de apoio psicológico. Vá em frente!
  • ALIMENTAÇÃO
OK Atenção!
A dieta saudável é variada e equilibrada. Inclui grãos (pães, cereais, macarrão, arroz), frutas, vegetais, carnes, derivados do leite (iogurte, manteiga e queijos) e pequena quantidade de gorduras, doces e óleos. Café ou chá preto em excesso; chocolate, leite e derivados (aumentam a secreção do muco no trato vocal, induzindo à produção de pigarro)
A maçã tem propriedade adstringente e auxilia a limpeza da boca e da faringe. Mas atenção: não pense que ela “limpa as cordas vocais”! Nenhum alimento passa pelas cordas vocais! Modismos alimentares, dietas “milagrosas”.
Sucos cítricos, particularmente os de laranja e limão, auxiliam a absorver o excesso de secreção. Bebidas gasosas provocam flatulência (distensão gástrica ou intestinal por gases), causando desconforto e prejudicando o controle da voz.
Pequenos goles de água fresca, em temperatura ambiente, sempre que sentir a garganta seca.
Verduras e frutas bem mastigadas: além dos nutrientes adequados que oferecem, também relaxam a musculatura da mandíbula, da língua e da faringe, melhorando a dicção e dando sensação de leveza ao corpo.
  • CUIDADO: PERIGO!!!

o   Chá de alho, gengibre moído, pastilhas várias, balas de própolis, mel com limão, vinagre com sal, gema de ovo com conhaque, chá de romã ou de cravo, refrigerante com azeite, café com manteiga… Nenhuma destas combinações apresenta ação direta sobre a laringe, pois os alimentos e líquidos ingeridos não passam pela laringe e sim pelo esôfago, que faz parte do sistema digestivo. Além disso, muitas destas “fórmulas” podem irritar a boca e a faringe, dificultando e prejudicando a emissão vocal.

o   Balas, pastilhas e sprays locais podem atenuar momentaneamente uma dor ou ardência na garganta durante a emissão da voz. O resultado é que estes sinais de alerta ficam disfarçados e você fala ou canta intensamente durante algum tempo, como se não houvesse nenhum sintoma, prejudicando mais ainda o estado das pregas (“cordas”) vocais. Não use remédios sem recomendação médica.

o   Outra prática perigosamente prejudicial é gargarejar com uísque ou conhaque para “esquentar” a voz ou aliviar uma garganta dolorida ou “arranhada”. O efeito superficial do álcool na boca e na faringe é o de uma anestesia temporária, fazendo com que as sensações desagradáveis realmente fiquem minimizadas. Assim, o esforço necessário para falar ou cantar não é percebido, e as consequências, após o efeito do álcool ter passado, podem ser uma maior irritação do aparelho fonador, ardência, dor e piora na qualidade vocal, podendo chegar à afonia temporária.

o   Mel e própolis – não existem estudos científicos controlados sobre a eficácia destas substâncias sobre a voz, mas há indícios de que o mel seja lubrificante das caixas de ressonância superiores e também de que o própolis ofereça ação antiinflamatória e lubrificante da boca e faringe.

Minhas animadíssimas alunas, cantar é mesmo bom demais, especialmente em grupo!

Gravando…

A gravação de um CD é resultado de um trabalho de vários meses. Dois de meus alunos, Lucila e Carlos, estão no momento realizando belos projetos de CDs. Fico muito feliz por acompanhá-los em estudio. Veja algumas fotos aqui e visite os links para ver todas as fotos.

LUCILA:  http://picasaweb.google.com.br/dgtfono/LucilaCD?authkey=Gv1sRgCOuBpev3gcPSVw&feat=directlink

CARLOS: http://picasaweb.google.com.br/dgtfono/CarlosNoEstudioGuidon?authkey=Gv1sRgCPrH7MuNkOPifw&feat=directlink

Voz no Souza

Adorei o evento Voz no Souza, que aconteceu sábado passado no Conservatório Souza Lima. Minha palestra foi sobre Saúde Vocal do cantor. Dr. Reinaldo Yazaki, otorrino, falou super didaticamente sobre Fisiologia da Voz. Teve ainda a palestra da Cindy sobre improvisação vocal e teve o Rafael Dantas falando sobre técnica vocal e estilo Broadway. Um cardápio e tanto!!!

O evento é anual, mas bem poderia se realizar mais vezes durante o ano. A voz humana é assunto para se estudar a vida inteira, não se esgota – felizmente!

A Oficina promovida pelo Studio Beto Silveira foi super produtiva e divertida. O nosso objetivo principal era melhorar a voz para a atuação no teatro, e trabalhamos bastante a projeção, a dinâmica, a ressonância e a dicção. Para esta preparação, eu (como sempre faço) usei alguns exercícios musicais, vocalises, trechos de músicas. Depois dividimos a turma em três grupos, e cada um preparou uma música para apresentar. Pena que só no último dia eu levei a câmera… na próxima eu vou registrar TODAS as turmas!!!

Gente, foi maravilhoso estar com o grupo de professores e educadores musicais reunidos pela Associação de Escolas de Música de Ribeirão Preto (AEMURP)! Estou aguardando receber as fotos para publicar aqui. Eu mesma não pude tirar nenhuma foto, pois estava dando aula 🙂 mas vááááárias pessoas tiraram e até mesmo filmaram. Aguardemos!